ABRH-SP comemora 10 anos dos Grupos de Estudos

“Trata-se de um dos nossos projetos pioneiros e mais sustentáveis”,

Manhã da última terça, no auditório da MetlifeÉ uma alegria grande porque misturou esses dez anos com o meu desenvolvimento pessoal. Os grupos têm grande relevância na minha carreira e vida pessoal. Fala-se muito que a tecnologia tem substituído o encontro entre as pessoas. Nossos Grupos de Estudos provam que isso nem sempre é verdadeiro. A possibilidade de boas trocas de ideias e conhecimento e de um contato produtivo mobiliza as pessoas, mesmo em uma cidade com trânsito tão desafiador como São Paulo. Há momentos em que nada substitui a riqueza do contato pessoal por isso nossos grupos só crescem desde que foram criados. Ana Maria de Freitas, diretora dos Grupos de Estudos e secretária do Conselho Deliberativo da ABRH-SP.

Palestra Consumer Insights – Prospectando Tendências de Comportamentos Futuros, com Tatiana Amendola Sanches, professora de Etnografia Urbana da ESPM-SP. É o conhecimento científico sobre nossa cultura e sociedade visando a busca de inovação e inspiração. Entre as tendências, Tatiana falou da Selfie Society, o uso das selfies em busca de likes como um mecanismo de cura nas redes sociais. “Quando a gente tira uma selfie, a gente tá se construindo para que o outro dê um like. É a cultura do betterness, do querer ser melhor porque uma hora o like acaba.

Oficinas temáticas com facilitadores: Comunicação não violenta na prática; Design Thinking para melhoria do clima organizacional; Conversas de Coaching – Venha vivenciar; e Consultoria Interna.

Patricia Muller Buzolin, sócia-fundadora da CNV4coaches

Estou sentindo muita gratidão porque acho legal um projeto que eu fiz a passagem que a Ana assumiu vivo, cheio de coisas novas, vários grupos abrindo nas Regionais. Muito gratificante perceber que tem continuidade, que eles estão prosperando e que as pessoas se beneficiam com isso. Legal que os facilitadores se integraram, estão construindo isso junto com a a ANA. Muito forte o papel dos facilitadores de manter o projeto vivo.

Baseados na andragogia, os grupos propiciam a oportunidade de aprendizagem contínua, a troca de experiência e o networking entre os participantes, promovendo o desenvolvimento dos nossos associados de forma efetiva e sustentável, afirma Edna Bedani, diretora de Conhecimento e Aprendizado. “É gratificante celebrar os 10 anos de existência de um projeto tão importante para a ABRH-SP e nossos associados.”

 

 

 

Fonte: O Estado de São Paulo, 18 de Junho de 2017

Related Posts