Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Já estão abertas as inscrições para concorrer às eleições na ABRH-SP

No dia 9 de agosto, os associados da ABRH-SP vão eleger os integrantes da diretoria executiva e dos Conselhos Deliberativo e Fiscal da Associação para o triênio 2013-2015. Os interessados em disputar as eleições têm até 6 de julho para fazer as inscrições.

Para participar do processo eleitoral da entidade, os associados podem constituir chapas a fim de concorrer à diretoria executiva ou se inscrever individualmente para as posições de conselheiros. Vale lembrar que os candidatos devem ser associados há pelo menos seis meses, contados até a data da eleição.

Enquanto a diretoria executiva é responsável pela administração e gestão da entidade, o Conselho Deliberativo zela pelo cumprimento dos objetivos da Associação de acordo com os seus princípios e do Sistema Nacional ABRH. Já o Conselho Fiscal é o órgão fiscalizador das contas apresentadas pela diretoria executiva.

Como tem acontecido desde 2003, a ABRH-SP vai adotar o sistema de votação eletrônica. As eleições funcionam da seguinte forma: os associados em dia com suas obrigações com a entidade recebem um e-mail com senha. Na data definida para sua realização, eles devem entrar no site da ABRH-SP, na opção de eleições, para confirmar suas preferências. Quem vota uma vez não consegue fazê-lo novamente, nem saber qualquer informação do processo.

O sistema criado pela MicroPower, empresa que apoia a ABRH-SP no processo de votação via web, envia e-mails aos associados que não votaram de duas em duas horas, para lembrá-los da importância de sua participação, e alerta para o prazo final. Encerrado o limite estabelecido, o sistema veta qualquer ação.

 

Página do Estado 20 de Maio de 2012

{module compartilhar}

Emprega SP oferece mais de 17 mil vagas

Programa da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT), criado em parceria com a ABRH-SP, o Emprega São Paulo está com 17.792 vagas de emprego abertas para o Estado, das quais 9.597 são para região da Grande São Paulo. As vagas mais ofertadas são para operador de telemarketing, auxiliar de limpeza, consultor de vendas, atendente, entre outras.

Os interessados devem comparecer a uma unidade do Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), com RG, CPF e carteira de trabalho.

Mais informações: www.empregasaopaulo.sp.gov.br

 

Página do Estado 13 de Maio de 2012.

 

{module compartilhar}

Seminário em Santos abordará a inclusão de trabalhadores com deficiência

A Regional Baixada Santista da ABRH-SP realiza nesta quarta, das 8h30 às 12 horas, no Senac de Santos (Av. Conselheiro Nébias, 309, Vila Mathias), o seminário gratuito A Lei de Cotas e a Inclusão dos Trabalhadores com Deficiência. Entre os palestrantes, o secretário adjunto dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo Marco Antonio Pellegrini, o professor da FEA/USP Hélio Zylberstajn, os consultores da i.Social Andrea Schwarz e Jaques Haber e a diretora da Regional Baixada Santista Rose Fassina.

Durante o evento, também serão apresentados cases de empresas da região que transformaram a Lei de Cotas em oportunidades de desenvolvimento.

Inscrições: (13) 3219-9484 ou regionalbaixadasantista@abrhsp.org.br

 

Página do Estado 13 de Maio de 2012

 

{module compartilhar}

INDICADORES

A Pesquisa Impex, da consultoria Laerte Cordeiro, estimou em 680 o número de empregos oferecidos a executivos de gerência e direção, em São Paulo, durante o último mês de abril. Superior aos números mensais de janeiro, fevereiro e março, a oferta de empregos de abril também cresceu cerca de 11% sobre março.

De acordo com a pesquisa, os executivos da área geral de Marketing/Vendas foram os mais procurados, com 50% das ofertas. A seguir, vieram os executivos das áreas gerais de Produção/Técnica (19%), Finanças e Controle (19%), Serviços Internos (10%) e Gerência Geral (2%). Por cargo, os mais procurados foram os diretores/gerentes Comerciais, de Vendas, Administrativos, de Filiais, de Produto, de Produção e de Recursos Humanos.

Na oferta de empregos para executivos, o setor de serviços superou a indústria, alcançando 47%. A indústria ficou com 40% e o comércio com 13% do total. Os bancos não aparecem na pesquisa.

Entre os segmentos empresariais que mais recrutaram executivos destacam-se: Saúde/Planos/Hospitais, Comércio de Varejo, Engenharia, Metalúrgicas/Siderúrgicas, Máquinas e Equipamentos, Automóveis, Produtos de Consumo de Massa, Gráficas e Editoras, Petróleo/Petroquímica e Têxteis.

Página do Estado 13 de Maio de 2012

{module compartilhar}

Uma incrível história de reinvenção pessoal

Paralítico aos 37 anos, o ex-executivo e praticante de hipismo Thomaz Magalhães reescreveu sua própria história para se tornar palestrante internacional, medalhista em campeonatos mundiais de esqui aquático e autor do livro Quebra de Script, em que conta a sua trajetória de vida.

 Esse processo de superação será tema da palestra Quebra de Script – Uma história incrível de reinvenção pessoal, que Magalhães apresenta nesta quinta, das 14 às 17 horas, na ABRH-SP. A palestra é gratuita para associados da entidade.

 

Inscrições: (11) 5505-0545 ou eventos@abrhsp.org.br

 

Página do Estado 13 de Maio de 2012

{module compartilhar}

Greve no serviço público: prejuízo para toda a sociedade

É bem sabido que a greve no setor público pune severamente toda a sociedade, e a paralisação afeta de forma nociva (e bem mais) aqueles que necessitam dos serviços públicos. Até a Constituição Federal de 1988, a greve no serviço público era proibida, mas, a partir de então, pelo que dispõe o artigo 37, inciso VII da CF/88, o direito de greve estendeu-se ao servidor público, prevendo para todos, indistintamente, que: “o direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos em lei complementar”.

 O Supremo Tribunal Federal, a quem cabe interpretar a Constituição, julgando o Mandado de Injunção 20 – DF, ditou: A mera outorga constitucional do direito de greve ao servidor público civil não basta – ante a ausência de autoaplicabilidade da norma constante do art. 37, VII, da Constituição – para justificar o seu imediato exercício. O exercício do direito público subjetivo de greve outorgado aos servidores civis só se revelará possível depois da edição da lei complementar reclamada pela Carta Política”.

No seminário sobre Liberdade Sindical e Novos Rumos do Sindicalismo no Brasil, realizado em abril no Tribunal Superior do Trabalho, discutiu-se o tema, e, no evento, acenou-se que dada a ausência de lei de greve no setor público, devem valer as regras previstas na lei nº 7.783/1989, que prevê no seu artigo 11: “Nos serviços ou atividades essenciais, os sindicatos, os empregadores e os trabalhadores ficam obrigados, de comum acordo, a garantir, durante a greve, a prestação dos serviços indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade”.

De acordo com o artigo 10º dessa lei, São considerados serviços ou atividades essenciais: I- tratamento e abastecimento de água; produção e distribuição de energia elétrica, gás e combustíveis; II- assistência médica e hospitalar; III- distribuição e comercialização de medicamentos e alimentos; IV- funerários; V- transporte coletivo; VI- captação e tratamento de esgoto e lixo; VII- telecomunicações; VIII- guarda, uso e controle de substâncias radioativas, equipamentos e materiais nucleares; IX- processamento de dados ligados a serviços essenciais; X- controle de tráfego aéreo; XI- compensação bancária”.

Também tramita no senado o projeto de lei nº 710/2011, que busca disciplinar o exercício do direito de greve dos servidores públicos, e, assim, atender à exigência prevista no inciso VII do artigo 37 da Constituição. O projeto prevê que não poderão fazer greve os membros dos poderes Legislativo, Judiciário e do Ministério Público, e, ainda, as Forças Armadas, Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares. Os demais servidores apenas poderão deflagrar o movimento grevista depois de comprovar que esgotaram as possibilidades de negociação, comunicar as autoridades superiores, apresentar planos de continuidade dos serviços e alternativas de atendimento ao público, e informar à população sobre a paralisação e as reivindicações feitas.

O autor do projeto de lei, senador Aloysio Nunes Ferreira, inseriu no projeto que, a princípio, não haverá pagamento dos dias parados, admitindo-se, no entanto, e limitada a 30% do período da paralisação, a remuneração daqueles dias, desde que haja previsão expressa de compensação na negociação coletiva ou em outros instrumentos.

As greves no serviço público há tempos vêm ocorrendo e aumentando, e o retorno ao trabalho tem sido condicionado ao não desconto integral dos dias parados. Os gestores de RH no setor público dificilmente passam um ano sem perder o sono com algum movimento grevista. Sempre enfrentam dias e dias em mesas de negociações, elaborando comunicados, revendo alternativas, etc.

Mas quem sofre mais ainda são as pessoas da sociedade, que ficam privadas ora de segurança pública, ora de transporte coletivo, ora de atendimento previdenciário, dos correios, dos serviços nos cartórios da justiça, etc. Até quando? Será que o pagamento limitado a 30% dos dias parados inibirá as greves?

 

Carlos Silva é diretor Jurídico da ABRH-SP

 

Página do Estado 13 de Maio de 2012

{module compartilhar}

Empregos em níveis pré-crise

O Brasil está se recuperando da crise mundial que persiste desde 2008, aponta o Relatório sobre o Trabalho no Mundo em 2012: Melhores Empregos para uma Economia Melhor, da Organização Internacional do Trabalho (OIT).  Segundo o documento, a taxa de emprego no país ficou em 54,1% no quarto trimestre de 2011, cerca de dois pontos percentuais acima do nível pré-crise.

A entidade afirma que a taxa de desemprego nas principais regiões metropolitanas continuou a cair constantemente no Brasil desde o início de 2009. Em comparação com outras economias da região, o Brasil tem a terceira menor taxa de desemprego, depois do México e de Barbados.

Excelência Mulher 2012

Em reconhecimento às ações na área de responsabilidade social e desenvolvimento sustentável e ao trabalho de voluntariado realizado tanto na ABRH-Nacional quanto na ABRH-SP, entidade na qual integra atualmente o Conselho Deliberativo, a consultora Jorgete Leite Lemos foi homenageada com o Prêmio Excelência Mulher 2012, entregue no final de março, durante evento promovido na capital paulista. Criado pelo sistema Ciesp/Fiesp – Distrital Sul e a Fraternidade Aliança Aca Laurência, braço social da entidade, o prêmio é concedido às mulheres bem-sucedidas, que se projetaram nos campos social, profissional, empresarial e político.

INDICADORES 06/05

  • De acordo com o International Business Report (IBR) 2012 da Grant Thornton International, 60% dos executivos brasileiros esperam que o crédito seja mais acessível, resultado bem acima da média global de 27%. Apenas 19% dos entrevistados disseram que o acesso a financiamento será menos acessível.

  • “O governo brasileiro tem tomado medidas para aquecer a economia e para o empresário local acompanhar esse ritmo com investimentos certamente precisará de mais crédito a melhores taxas, principalmente para pequenas e médias empresas”, diz Javier Martinez, responsável pelo IBR na América Latina.

  • Das 40 economias participantes entre mais de 11.500 negócios pesquisados, as que mais empresários acreditam que terão melhor acesso a financiamento, além do Brasil, são Peru (72%), Índia e Geórgia (ambos com 66%), Filipinas (62%) e México e Chile (ambos com 54%). Por outro lado, os executivos gregos (70%), franceses (58%) e holandeses (52%) são os que acreditam que o acesso a financiamento será menor.

  • O IBR 2012 também pesquisou o sentimento do empresariado com relação ao suporte de credores neste ano. No Brasil, o cenário é bem otimista, com 72% dos executivos dizendo crer em um apoio de credores. Apenas 11% falaram que os credores não darão apoio aos negócios. Entre os mais otimistas com relação ao apoio dos credores estão Filipinas (91%), Geórgia (87%), Estados Unidos e Japão (ambos com 85%) e Peru e Emirados Árabes (ambos com 84%).

INSTITUCIONAL: ABRH-SP amplia o número de associados

A maior representatividade da ABRH-SP no estado de São Paulo e a ampliação das ações e realizações voltadas à comunidade de Recursos Humanos têm contribuído para o crescimento no número de associados da entidade, tanto na modalidade Pessoa Física quanto Pessoa Jurídica. Entre 2009 e 2011, houve um acréscimo de 50% no número de filiados. Já o número de beneficiados pelas empresas associadas dobrou no mesmo período.

Profissionais e empresas procuram a Associação em busca, principalmente, de oportunidades de desenvolvimento e networking. É o caso do palestrante Antônio Marcelo Pinto, que trabalha com RH há mais de 28 anos e atualmente se dedica a disseminar, através suas apresentações, os benefícios que a gestão do bom humor proporciona ao resultado das empresas e à saúde dos seus empregados.

Marcelo Pinto buscou a Associação não só para aumentar o networking, ao divulgar seu trabalho e ter oportunidade de ministrar treinamentos que visam à melhoria do clima interno das empresas, mas para se manter atualizado nas práticas de RH.

Outra profissional filiada recentemente é a psicóloga clínica, especializada no trabalho de auxílio a expatriados, Fernanda Azevedo. “Resolvi me associar à ABRH-SP, pois já conhecia de ouvir falar e de ter visitado. Acredito que eu possa enriquecer as minhas práticas profissionais com o contato com outros colegas de caminhos e percursos tão variados. Além disso, a entidade proporciona aos afiliados uma variedade grande de Grupos de Estudo, encontros sobre temas diversos, palestras e congressos, que promovem a atualização profissional e o crescimento”, justifica.

Como Fernanda, que atualmente participa e atua como facilitadora do Grupo de Estudo de Expatriados e Interculturas, Leonardo Blanco dos Santos é outro recém-associado que resolveu se afiliar à ABRH-SP pela possibilidade de networking que a entidade promove e também para participar dos seus grupos de estudo. Em pleno período de transição de carreira – “migrando do emprego na área de Recursos Humanos de uma empresa para a abertura da minha própria empresa de prestação de serviços em RH” –, Leonardo integra o grupo de Coaching.

“Vejo a ABRH-SP como uma associação muito bem administrada e transparente, que promove a valorização do profissional de RH. Espero que ela continue assim e que, cada vez mais, consiga identificar quais são os tópicos de Recursos Humanos mais relevantes no momento, sobre os quais vale a pena focar investimentos e promoção”, assinala Leonardo.

 

Fora da capital

Principalmente em função do trabalho intenso desempenhado pelas Regionais, o número de associados fora da capital paulista também vem crescendo. Empresa instalada na região de Campinas, a Dextra Sistemas se filiou recentemente como Pessoa Jurídica. “Achamos que a ABRH-SP pode nos ajudar muito ao compartilhar pesquisas de mercado, oferecer cursos e palestras, e organizar grupos de estudo e discussão aqui na região”, diz a gerente de RH Débora Villa-Forte Torres, que atua há treze anos na área.

De acordo com Débora, a Dextra espera que a Associação seja um parceiro dedicado a fortalecer, facilitar e disseminar as melhores práticas de Recursos Humanos, “sendo um elo entre as empresas e profissionais que visam ao desenvolvimento das pessoas e consequentemente da sociedade”. Já Fernanda, espera que a entidade continue se renovando, se atualizando e buscando temas interessantes envolvendo o ser humano, as empresas e os RHs.

TEMAS EM DEBATE Palestra abordou as “ferramentas” para a felicidade

“A qualidade de vida normalmente é medida pela longevidade, o poder de compra e o conhecimento de uma população. Mas será que esses três aspectos fazem uma pessoa feliz?” Esse foi um dos questionamentos que o presidente da Uniodonto de Americana, o cirurgião-dentista com pós-graduação em Gestão Administrativa da Saúde, Silney Beraldo, fez na palestra A Importância do Sorriso na Vida de Qualidade, apresentada na quinta passada na ABRH-SP.

Na opinião de Beraldo, a maior ferramenta para a felicidade é o sorriso. “Não importa o país aonde a gente vá, o sorriso é sempre reconhecido como um gesto de amizade. Além disso, libera no nosso corpo os chamados hormônios do prazer.”

Página do Estado 29-04-2012 {module compartilhar}

ESPAÇO DA FÊNIX A união gera conhecimento

Para fomentar a difusão do conhecimento de gestão e ampliar o relacionamento de negócios empresariais, foi criada a Rede de Executivos, direcionada exclusivamente aos CEOs e executivos titulares das várias áreas de gestão das empresas associadas. A rede promoverá encontros voltados à áreas de Gestão Financeira, Marketing/Vendas, Recursos Humanos, Tecnologia de Informação e demais áreas da organização.

Fundada pelos visionários César Souza, da Empreenda, Ícaro Verniz, da Fênix Editora, César Coutinho, da CC Gestão Empresarial, e Airton Carlini, CEO da Pritchett Brasil, a Rede de Executivos apresenta em todos os encontros um palestrante, além de um debatedor e um mediador que abordam temas atuais e relevantes para todas as áreas de gestão.

De modo geral, as redes de networking têm como apelo principal o relacionamento. Já a Rede de Executivos se baseia em três diferenciais: exclusividade, conteúdo e integração. A proposta é fornecer o que há de mais moderno, atual e prático para os participantes. Com encontros mensais, curtos, porém absolutamente efetivos e com alta qualidade na entrega do conteúdo gerado, a rede se limita a 30 participantes para os CEOs e 60 para os eventos das áreas de gestão. Com esse número máximo, tem-se uma participação efetiva de todos os executivos.

“Quando é possível participar de um evento que permite abrir a mente e também a troca de experiências capaz de melhorar a produtividade, certamente estamos fazendo negócios e gerando riquezas para nossas empresas e para o país”, afirma Airton Carlini, vice-presidente de Relacionamento da Rede.

 

Página do Estado 29-04-2012

{module compartilhar}

QUER OBTER CONTEÚDO DE QUALIDADE COM INFORMAÇÃO ATUAL?