Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Aon e LHH patrocinam a nova gestão

AON e Lee Hecht Harrison patrocinam a nova gestão da ABRH-SP

 

Importantes fornecedoras de soluções para a área de Recursos Humanos e parceiras de longa data da ABRH-SP, Lee Hecht Harrison e AON fecharam, na semana passada, os contratos de Patrocinadores de Gestão da entidade. Os contratos foram assinados por José Augusto Figueiredo, presidente no Brasil e vice-presidente executivo para América Latina da Lee Hecht Harrison, e Marcelo Munerato de Almeida, CEO da AON, nas respectivas sedes das empresas e com a presença do presidente da ABRH-SP Theunis Marinho, que agradeceu o apoio e a confiança de ambos na nova gestão iniciada no início deste ano.

Durante as assinaturas, os líderes falaram sobre as razões que motivaram a parceria, os desafios que o ano reserva para os profissionais de Recursos Humanos e as perspectivas das empresas neste 2016.

Sobre o patrocínio

“O tipo de negócio que a Lee Hecht Harrison trabalha demanda muito networking entre pessoas e a ABRH-SP é um espaço de troca de saberes e de experiências importante para estarmos junto da comunidade de Recursos Humanos, que é a grande patrocinadora dos nossos programas. Esse é o sentido mais óbvio de estarmos próximos, mas, além disso, apoiamos a Associação pelo papel que ela desempenha ao representar os interesses dos gestores de pessoas”, explicou Figueiredo.

“A comunidade de RH para a AON é de imensa importância”, destacou Munerato. “Temos a obrigação de servi-la e ajudá-la na missão de gestão de pessoas e de desenvolvimento de gente, que é sem dúvida nenhuma a mais fundamental dentro de qualquer organização. Além disso, é uma honra voltar a patrocinar a ABRH-SP, principalmente em razão da confiança que temos no Theunis Marinho, na competência dele em gerir a entidade e fazer com que ela cumpra a função de servir a comunidade de RH de São Paulo.”

O 2016 do RH

Os dois líderes preveem um ano difícil, mas, ainda assim, pleno de oportunidades para Recursos Humanos.

 

 “Acho que vamos viver um ano totalmente ponto de interrogação. Vai ser difícil, pois tudo pode acontecer”, analisou Figueiredo. Para ele, o grande mote que move a área de RH hoje é sobreviver à crise. “Além disso, levar para as organizações que estamos vivendo um momento de evolução, no qual o país está mudando para melhor. Não sei se esse momento vai durar dois, três, quatro anos, mas vamos sair muito melhor dele. O papel de Recursos Humanos, portanto, é olhar aonde ninguém está olhando.”

Munerato lembrou que o Brasil já viveu outras crises e passou por elas por ser um país de imensas possibilidades. Para 2016, ele recomenda que o RH tenha uma visão pragmática em relação ao negócio da sua organização. “As palavras engajamento e produtividade vão ser a tônica para o RH, que vai ter também o desafio de mostrar de verdade, não apenas no discurso, que as pessoas são o principal ativo da organização.”

 

Perspectivas

Munerato apontou que o Brasil está entre as preferências de investimento da AON. “A empresa tem um mapa estratégico de investimento com faixas de prioridades. Para nossa grata surpresa – o estudo foi desenvolvido dois anos atrás, mas é válido ainda hoje –, o Brasil é o único país emergente e da América Latina que se encontra no primeiro grupo, ao lado de Estados Unidos, Inglaterra, Canadá e Austrália. Portanto, estamos agora com um mandato de investir, fazer aquisições e projetos de crescimento orgânico. Para nós é um grande desafio, porque precisamos realmente estar atentos às oportunidades do mercado, tanto que nosso tema do ano é Call to Action [chamado para a ação]. Temos de estar o dia inteiro ao lado dos clientes para que eles possam vencer seus próprios desafios e nós possamos prosperar em conjunto com eles.”

 

Segundo Figueiredo, a Lee Hecht Harrison terá novidades nas duas frentes em que atua. “Na área de transição de carreira, estamos aprimorando em escala global aquilo que já temos, por exemplo, para colocar a nossa metodologia na forma de aplicativo via celular e trabalhar com analytics, números e previsibilidade. Já na área de desenvolvimento de talentos, o foco está nas métricas para construção de novos assessments. Também estamos atentos, em nível global, a várias aquisições para crescer.”

 

NO MUNDO

Empresa multiproduto, com soluções de gestão de riscos, corretagem de seguros e resseguros e consultoria em capital humano, a AON está presente em 120 países por meio de 500 escritórios.

Especializada em soluções de desenvolvimento de talentos para todo o ciclo de vida do profissional, a Lee Hecht Harrison possui mais de 300 escritórios em 60 países. 

 

Fonte: Jornal Estadão – 28/02/2016

Comentários

    Deixe uma Resposta

    QUER OBTER CONTEÚDO DE QUALIDADE COM INFORMAÇÃO ATUAL?