Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

CONVERSA COM RH: Compromisso com a integração

Graduada em Publicidade e Propaganda e pós-graduada em Engenharia de Produção, ambas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, a carioca Luciana Côrtes Carvas se interessou pela área de RH quando começou a trabalhar na área de comunicação interna das Lojas Americanas. A partir daí, construiu sua carreira focada em gestão de Recursos Humanos, atuando em empresas como Ernst & Young, Abbott Laboratories e Mars Incorporated. Atualmente, Luciana é diretora corporativa de Recursos Humanos da Hypermarcas, uma das maiores companhias de bens de consumo com capital de origem brasileira e que tem como estratégia a combinação de crescimento orgânico com aquisições. Veja, na entrevista a seguir, concedida ao jornal Gestão de Pessoas, a trajetória de Luciana e como o RH da Hypermarcas lida com esse processo constante de integração:

GP – Você se formou em Publicidade. Que caminhos a conduziram até a área de RH?

LCC – Meu primeiro emprego foi na comunicação interna das Lojas Americanas. Lá desenvolvi trabalhos de comunicação, em conjunto com Recursos Humanos, que me levaram a conhecer todos os seus subsistemas. Acabei gostando da área, me envolvendo e crescendo nela.

GP – Já como RH você atuou em empresas de segmentos distintos como Ernst & Young, Abbott Laboratories e Mars Incorporated. Como essa experiência tem contribuído para seu trabalho?

LCC – Para a minha carreira, tem sido fantástico, pois tenho maior flexibilidade, jogo de cintura, conhecimento de diferentes business e diversas abordagens. Até em termos de valor de mercado e empregabilidade é importante, porque tenho uma exposição maior, além da oportunidade de sempre testar meus limites. Para as empresas também é vantajoso, já que posso levar diferentes visões de como executar as atividades e questionar o modo como as coisas são feitas.

GP – Qual é o principal desafio de trabalhar em uma empresa como a Hypermarcas, que tem boa parte de seu crescimento baseado em aquisições?

LCC – É um grande desafio. Temos um forte compromisso com a continuidade e procuramos rapidamente integrar as novas estruturas que chegam à cultura da Hypermarcas. É um processo de integração muito robusto com foco em todos os subsistemas da companhia. Quando adquiridas, as empresas passam a ser parte dos departamentos da Hypermarcas. Nosso foco, então, é fazer com que esses departamentos recebam bem os novos funcionários e facilitem a sua inserção na engrenagem, e com que esses novos funcionários trabalhem tão bem quanto trabalhavam anteriormente.

GP – E todo esse processo é feito pela área de RH?

LCC – Sim. É tudo preparado pelo RH. Temos de lembrar que esse processo envolve medo, incerteza e insegurança das pessoas. Então, é preciso acolhê-las e mostrar muito rapidamente como a empresa funciona, o plano de carreira que elas têm disponível, enfim, tudo o que elas precisam saber.

GP – Qual é a estrutura atual da área?

LCC – São mais de 200 profissionais de RH espalhados pelo Brasil – no total, a Hypermarcas conta com 13 mil funcionários no país. Uma parte da área de RH cuida das atividades funcionais, como Recrutamento & Seleção, Remuneração e Comunicação Interna, e outra, só da integração dos novos funcionários. É importante dizer que o nosso RH ainda está em formação. É um trabalho duro, mas que apresenta muitas oportunidades, porque a Hypermarcas é uma empresa diferenciada, com um processo de construção muito rápido. Por isso mesmo, há muito a ser feito. Também vale destacar que existe muita maturidade da organização sobre a importância de RH participar de todo esse processo.

GP – Você é associada da ABRH-SP. Qual é a importância para um profissional de fazer parte do movimento associativo?

LCC – Acho fundamental. RH sempre precisa discutir o papel que exerce nas organizações, ter oportunidades de trocas para fortalecer a visão estratégica da área, debater o seu papel no business. Não pode ser um RH que só vivencia o ambiente da empresa onde está, é preciso ter diferentes visões. O dia a dia nos absorve demais, por isso temos de encontrar um lugar para nos abastecer e não esgotar nossos recursos. A ABRH-SP é um exemplo de entidade que facilita trocas e contatos, sem contar as oportunidades de desenvolvimento profissional que oferece.

 

 

Data: 08 de abril de 2012

{module compartilhar}

Comentários

    Deixe uma Resposta

    QUER OBTER CONTEÚDO DE QUALIDADE COM INFORMAÇÃO ATUAL?