Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

ELEIÇÕES 2012: Propostas para melhorar as condições de trabalho na cidade de SP

A partir desta edição, o Jornal Gestão de Pessoas passa a ouvir o que os candidatos à prefeitura de São Paulo propõem para melhorar as questões que afetam diretamente os trabalhadores da cidade. Neste domingo, o candidato pelo PT na coligação Para Mudar e Renovar São Paulo, Fernando Haddad, fala de suas propostas.

 

GP – Está nos planos do candidato criar incentivos e isenções a serem oferecidos pela prefeitura às organizações que contratarem aprendizes e pessoas portadoras de deficiência ou instituírem cursos de alfabetização e programas de formação profissional?

 

FH – Nosso programa prevê uma série de ações voltadas para pessoas portadoras de deficiência. Vamos garantir acessibilidade universal a toda a frota de ônibus municipal e aos equipamentos urbanos de transporte, assim como nos eventos, atividades e espaços de cultura, esporte e lazer. Também iniciaremos a implantação de uma rede de transporte especial que leve a pessoa de sua casa até a rede de transporte público, minimizando dificuldades no caminho. Efetivaremos a inclusão das pessoas portadoras de deficiência no sistema educacional, garantindo transporte, estrutura material e atendimento adequado nas escolas. Além disso, traremos para a cidade o Programa Nacional BPC Trabalho (que integra o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência), promovendo o acesso ao trabalho a essa população. Garantiremos a efetivação da Rede de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência e criaremos o serviço de Centros – Dia de Referência para Pessoas com Deficiência. Também garantiremos o direito à moradia adequada a sua condição física, sensorial e intelectual. Na área de alfabetização e formação profissional, vamos ampliar o Movimento de Alfabetização de Jovens e Adultos (MOVA), a oferta de Educação de Jovens e Adultos (EJA), revigorar o Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos (CIEJA), articulando esses projetos e integrando-os ao Programa Brasil Sem Miséria, do Governo Federal. Também vamos implantar o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) na cidade, buscando diversas parcerias com o governo estadual e com outras entidades para atender 100 mil beneficiados na primeira fase do programa. As organizações que colaborarem com esses esforços da Prefeitura poderão se tornar parceiras desses projetos e essa parceria será discutida com as mesmas.

 

GP – Está nos planos do candidato a criação de incentivos e isenções a serem oferecidos pela prefeitura às organizações que oferecerem serviços de transporte coletivo para locomoção de seus funcionários, contribuindo, assim, efetivamente com a redução dos problemas de congestionamento e fluxo de veículos na cidade?

 

FH – No nosso governo será implementada uma revisão da regulamentação existente sobre o setor de fretamentos, ampliando a articulação com os serviços do sistema de transporte coletivo de passageiros. Reconhecemos a importância do fretamento como modo de transporte coletivo que pode vir a promover menor utilização do automóvel.

 

GP – O que a prefeitura pode fazer para melhorar as condições de trabalho e rotina das pessoas na cidade de São Paulo?

 

FH – Nossa principal proposta é o Arco do Futuro, que fará uma reorganização urbanística da cidade. O Arco começa na Avenida Cupecê, seguindo pelas avenidas Vicente Rao e Roque Petroni, continua pelas marginais dos rios Pinheiros e Tietê, adentra pelo extremo norte da Zona Leste, ao longo da ferrovia, até alcançar e percorrer a Avenida Jacu-Pêssego até seu limite Sul. Serão concedidos incentivos fiscais e isenção ou redução da outorga onerosa do direito de construir, de forma a promover o desenvolvimento e a geração de empregos em bairros afastados do Centro, aproximando, dessa forma, o emprego da moradia. Com isso, o tempo de locomoção entre a casa e o trabalho será significativamente reduzido, melhorando o trânsito e as condições de trabalho e de rotina para a população de São Paulo.

 

GP – O que os gestores de pessoas podem fazer para apoiar as ações da prefeitura nos projetos que está propondo?

FH – Nós estamos propondo um novo projeto de desenvolvimento econômico e social para São Paulo, no qual as organizações da sociedade civil constituem atores e beneficiários importantes na construção dessa nova concepção de cidade. Nosso governo será aberto, transparente, democrático e participativo. Teremos um Sistema Municipal de Participação Popular e Cidadã, com diversos Conselhos Municipais. Entre eles, criaremos o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) do Município, nos moldes do CDES do Governo Federal. A participação das organizações nos diversos mecanismos de participação será fundamental para que a prefeitura execute os projetos que estamos propondo.

{module compartilhar}

Comentários

    Deixe uma Resposta

    QUER OBTER CONTEÚDO DE QUALIDADE COM INFORMAÇÃO ATUAL?