Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

GESTÃO: Empresas organizam esquemas especiais para os dias de jogos do Brasil na Copa




O que parecia distante agora chegou. Faltam poucos dias para o início da Copa do Mundo no Brasil. Para as empresas, o momento é de organizar um esquema especial para os dias de jogos da seleção nacional que satisfaça os funcionários, sem grandes perdas da produtividade. Enquanto algumas se preparam para dispensar os colaboradores horas antes dos jogos, caso não seja decretado feriado municipal, outras, que não podem parar de funcionar, oferecem a transmissão das partidas no lugar de trabalho.

Um exemplo desse último caso são os shopping centers. De acordo com levantamento realizado pela Abrasce – Associação Brasileira de Shopping Centers, com mais de 40 shoppings em todo o Brasil, a grande maioria dos centros comerciais funcionará normalmente nos dias de jogos da seleção brasileira. Segundo a pesquisa, 95% dos estabelecimentos deverão fechar entre 30 minutos e 1 hora antes dos jogos, reabrindo logo após o término das partidas.

Nas praças de alimentação, aponta o levantamento, os jogos serão televisionados para funcionários e lojistas que optarem por permanecer no local. Restaurantes e operações de alimentação que tiverem entrada independente continuarão funcionando. Já nos restaurantes localizados na área interior dos shoppings, o funcionamento deverá ocorrer desde que os consumidores entrem antes do fechamento.

Outro exemplo de organização que não pode parar durante os jogos é a Fundação Cásper Líbero, proprietária de veículos de comunicação, como rádio, TV e jornal.net, que precisam de parte de seus funcionários radialistas e jornalistas nas redações. “Temos também a Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero, com um calendário específico de horas/aula que terão de ser rigorosamente cumpridas”, lembra Carmen Amoeiro Vispo, superintendente de Recursos Humanos.

Especificamente nos jogos do Brasil, explica Carmen, serão dispensados a partir das 13 horas os funcionários cuja ausência não prejudique as atividades essenciais da empresa. Para aqueles que não puderem ser dispensados, serão disponibilizados televisores em suas áreas de trabalho. A fundação não pretende recuperar as horas perdidas. “Por ser uma liberalidade da empresa, não haverá compensação de horas”, diz Carmen.

A Edenred, que integra as marcas Ticket e Accentiv´Mimética, também já definiu o seu esquema para os jogos. Se não for decretado feriado, os colaboradores serão liberados a partir das 12h30. Quando os jogos forem em São Paulo, mas não do Brasil, os funcionários poderão assisti-los nas TVs dos andares, localizadas nas copas. Além disso, há a possibilidade de se reunir e ver as partidas nos refeitórios, comendo pipoca e refrigerante.

Em relação à produtividade, a empresa já tem uma política clara. “Se for decretado feriado, não há perda nem reposição de horas. Se não, as horas serão debitadas do banco dos colaboradores. De qualquer forma, as áreas deverão garantir a manutenção de suas operações. O gestor decidirá se haverá colaboradores de plantão para garantir a operação”, assinala Arnaldo Moral Lopes, Head de RH da Ticket Serviços.

A compensação por meio de banco de horas também será a prática adotada pela Galvão Engenharia, de acordo com o seu diretor corporativo Frank Adriano Balarotti de Araújo. Nos dias de jogos do Brasil, caso não seja decretado feriado municipal, o expediente na empresa acontecerá das 8 às 12 horas. “Vamos disponibilizar TVs para que aqueles que eventualmente permanecerem em plantão poderem assistir às partidas na empresa.”

 

Fonte: O Estado de São Paulo 25 de maio de 2014

{module compartilhar}

Comentários

    Deixe uma Resposta

    QUER OBTER CONTEÚDO DE QUALIDADE COM INFORMAÇÃO ATUAL?