Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

As melhores empresas para trabalhar no RH Triple A

Shiozawa, do GPTW: formato efetivoCom estreia marcada para novembro, o programa RH Triple A, realizado pela ABRH-Brasil em parceria com a Fundação Dom Cabral (FDC), vai formar, pela primeira vez no país, uma comunidade de aprendizado para que a alta liderança de RH possa discutir os principais paradoxos do seu dia a dia e, através de dinâmicas diferenciadas – como “Cápsulas de Conhecimento” e “Sprints” –, encontrar suas próprias soluções práticas.

Com duração de um ano e o apoio de professores da FDC e profissionais da elite do RH, o programa se diferencia pelo ineditismo, uma vez que o conteúdo é flexível para se moldar às reais prioridades dos participantes e, assim, melhor responder às suas necessidades.

“O RH Triple A não trabalha com conteúdo pré-definido ou pré-formatado, como ocorre em cursos de pós-graduação e especialização. Vamos discutir os desafios do presente e do futuro para que os profissionais possam elevar sua contribuição nas empresas e fortalecer suas carreiras de sucesso”, frisa Luiz Edmundo Prestes Rosa, diretor de Desenvolvimento de Pessoas da ABRH-Brasil.

Além disso, com uma metodologia exclusiva, o programa, desenhado sob medida para o RH, privilegia vivência, experimentação, desenvolvimento de projetos e aplicações práticas, sempre com orientação técnica. Para completar, os temas se renovam a cada edição e, a partir de 2018, a comunidade será aberta a gerentes e coordenadores, com o objetivo de difundir uma nova digital de RH.

 O nome RH Triple A nasceu da identificação, através de pesquisas e focus group, das três palavras mais demandadas na atualidade para o sucesso de uma organização: Antecipação, Adaptabilidade e Autonomia. A cada assunto colocado em pauta, esse tripé será a base da discussão.

 Realidade brasileira

Quem trabalha em RH sabe que o Brasil é um país rico em casos bem-sucedidos nessa área, muitos deles desenvolvidos em localidades distantes, por empresas não muito conhecidas e pouco difundidos no mundo corporativo. É para trazer à tona essas experiências que, recentemente, um novo parceiro foi confirmado no programa. Responsável pelo ranking das Melhores Empresas para Trabalhar, o Great Place to Work (GPTW) vai fazer a conexão direta dos participantes do RH Triple A com organizações que possuem práticas avançadas em gestão de pessoas.

Prestes Rosa diz que o GPTW compartilha o mesmo sonho de fortalecer a contribuição de Recursos Humanos para a retomada do crescimento do Brasil, em um contexto repleto de inovações e tecnologias, que vão transformar o ambiente de trabalho. “A participação do GPTW vai enriquecer o programa com as melhores práticas de gestão de pessoas, escolhidas entre as mais de 1.000 empresas que participam anualmente de sua rigorosa avaliação.”

Ruy Shiozawa, presidente do instituto, explica que as pesquisas que o GPTW realiza no mundo todo permitem reunir uma gigantesca base de dados explicando por que algumas organizações são tão superiores a outras no que se refere a como lidam com suas equipes.

“A primeira característica comum que diferencia essas empresas é o fato de o ponto de partida de todas as suas ações e decisões ser o seu propósito. Antes de avaliações financeiras, elas têm propósitos muito claros em seu horizonte. E as pessoas se juntam a elas e trabalham em sintonia sob os acordes desse propósito”, assinala Shiozawa.

Ele destaca outra característica das melhores empresas para trabalhar: o preparo dos líderes para, em primeiro lugar, cuidar de pessoas, pois sabem que os resultados vêm através das pessoas e não apesar delas. Essas afirmações, diz Shiozawa, podem sempre ser apoiadas por casos e exemplos reais praticados por essas próprias organizações.

O presidente do GPTW acredita que o formato escolhido para o RH Triple A é o mais efetivo possível. Na sua visão, não há dúvida de que chegou a vez de os gestores de RH assumirem o protagonismo na condução não apenas da gestão de pessoas, mas do direcionamento da estratégia das organizações: “A revolução digital está provocando mudanças radicais dentro e fora das empresas e o RH reúne as condições para liderar essa transformação, pois conhece pessoas, desenvolve liderança, estimula mudanças, foca no propósito, reúne equipes e incentiva o trabalho cooperativo”, finaliza.

 

Informações:

www.fdc.org.br

0800 941 9200

Comentários

    Deixe uma Resposta

    QUER OBTER CONTEÚDO DE QUALIDADE COM INFORMAÇÃO ATUAL?