Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Entrevista com o Diretor de RH do McDonald’s

A Arcos Dourados, franqueadora máster do McDonald’s em 20 países da América Latina mais o Caribe, é patrocinadora de gestão da ABRH-SP desde junho de 2016.

Conversamos com Marcelo de Freitas Nóbrega, diretor de Recursos Humanos da operadora da marca no Brasil, sobre os principais desafios da área de gestão de pessoas nos próximos anos, os trabalhos conjuntos entre ABRH-SP e Arcos Dourados e como isso tem ajudado a companhia a focar cada vez mais no desenvolvimento de seus colaboradores. Confira!

 

1- Por que a empresa se tornou patrocinador de gestão da Associação?

McDonald’s e ABRH-SP têm uma sinergia incrível. Estar junto a entidades como a ABRH-SP, que é referência para os profissionais de gestão de pessoas, ajuda a encontrar novos caminhos no relacionamento com os funcionários e possibilita a troca de experiências com outras empresas. Outra preocupação em comum é a inclusão social do ser humano. Estamos de portas abertas àqueles que estão fora do mercado e desejam se recolocar no mundo profissional, àqueles que buscam o primeiro emprego e, também, às pessoas com deficiência à procura de trabalho e renda. E a ABRH é uma grande parceira para atingir esses objetivos. 

 

2- Como tem sido a parceria desde então?

A parceria com a ABRH-SP tem sido muito produtiva, com iniciativas pioneiras e ações relevantes para o mercado de trabalho, como o Trabalho Novo, em São Paulo (SP), onde firmamos uma parceria com a Prefeitura para contratar dezenas de ex-moradores de rua para trabalhar em nossos restaurantes. Os resultados dessa iniciativa têm sido maravilhosos para todos os envolvidos. 

 

3- Como você descreveria a importância da gestão de pessoas para a organização das empresas?

É um certo clichê, mas sempre vale ressaltar que a gestão de pessoas é fundamental para qualquer organização. Hoje em dia, é moda dizer que o mundo está mudando em um ritmo frenético. Mas, a verdade é que sempre foi assim, em cada momento histórico. E nesse contexto, o RH tem algumas funções: fomentar e ser um agente de mudança; criar um ambiente propício a mudanças, que seja versátil e adaptável; e ajudar a companhia a assimilar essas transformações. E em todos elas, a gestão de pessoas é fundamental. 

 

4- Existe algum projeto, modelo ou ferramenta de gestão que vocês utilizam e que gostaria de destacar?

A sofisticação e o barateamento de ferramentas de tecnologia e a maior disponibilidade de dados tem ajudado bastante a termos mais informações sobre nossa força de trabalho. Com o uso de Big Data / People Analytics, conseguimos conhecer melhor nosso público e tomar decisões mais inteligentes.

E o McDonald’s está totalmente antenado às questões de aprendizagem e educação que afetam nossa sociedade. Grande parte do nosso quadro de funcionários é formada pela Geração Y, que possui características muito peculiares de aprendizagem. Para conseguir atender esta demanda, temos buscado modernizar também as ações de desenvolvimento e treinamento e deixar claro qual a parcela de responsabilidade que cada funcionário e gestor possuem neste processo. Ao modernizar nossa abordagem de treinamento, entendemos que estamos facilitando e alavancando o atingimento de resultado de nossos funcionários e, consequentemente, da organização.

Por fim, gostaria de destacar a Cooltura de Serviço (trocadilho com a palavra “cool”, legal em inglês, e “cultura”), iniciativa que valoriza menos a padronização e mais a individualidade, incentivando que nossos funcionários sejam eles mesmos e sejam mais espontâneos ao atender os clientes.

 

5- Pensando no modelo de negócio da sua companhia, no momento, quais os temas que mais devem ser discutidos e desenvolvidos na área de RH? Por quê?

Atualmente, o tema mais discutido no RH do McDonald’s é como melhorar a experiência do primeiro emprego. O McDonald’s é a porta de entrada para o mercado de trabalho de milhares de pessoas, por isso, estamos enriquecendo essa experiência com diversas ações, em linha com as novas competências que o mundo profissional exige. Além do tradicional treinamento realizado em nossos próprios restaurantes e na McDonald’s University, criamos um programa de desenvolvimento profissional chamado Aperte o Play. Nele, oferecemos diversos cursos em parceria com renomadas instituições, como curso de TI em parceria com a IOS e de empreendedorismo, em parceria com a Endeavor. 

 

6- Qual a relevância das iniciativas da ABRH-SP para o incentivo ao desenvolvimento do profissional e da área de recursos humanos?

Elas sempre contribuem para o aprendizado, seja por benchmark, por networking ou por estimular a pensar fora da caixa em busca de inovações. Além de deixar sempre em evidência os profissionais de RH e as boas iniciativas realizadas nesta área. 

 

7- A empresa se identifica com o investimento no desenvolvimento de pessoas e organizações da forma como a ABRH-SP propõe (por meio de cursos, palestras, workshops, entre outros)?

Temos muitas ideias em comum, principalmente o fato de priorizarmos o desenvolvimento de pessoas! E essa sinergia de ideias não é comum apenas ao McDonald’s, mas vale também para as diferentes empresas parceiras. Prova disso é que, pelo fato de ser um hub da comunidade de RH, a ABRH se tornou uma “central de compartilhamento” de ideias, produtos, tecnologias e ferramentas que facilitam o desenvolvimento e a gestão de pessoas. 

 

8 – Por favor, fique à vontade para acrescentar qualquer ponto relacionado a recursos humanos ou gestão de pessoas que tenha ficado fora das questões anteriores e que julgue relevante para o momento. 

Por ser um membro do Comitê Organizador, gostaria de convidar a todos para participar da 3ª edição do Conalife (Congresso Nacional de Liderança Feminina da ABRH-SP), que acontecerá no dia 24 de maio de 2018, no Hotel Unique, em São Paulo (SP). As inscrições já estão abertas e podem ser realizadas pelo site http://www.conalife.org.br/.  É um fórum inovador, que aborda um tema relevante e atual, com potencial transformador para as organizações brasileiras.

Comentários

    Deixe uma Resposta

    QUER OBTER CONTEÚDO DE QUALIDADE COM INFORMAÇÃO ATUAL?