Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

A saúde mental na era da digitalização

Nas últimas décadas, a tecnologia digital tem impactado diretamente as relações humanas. Invadiu nosso dia a dia e chegou ao mercado de trabalho, gerando profundas transformações sociais, econômicas e culturais. Essa tendência assumiu um caráter desafiador para as empresas e seus colaboradores. É a vida real batendo à porta do mundo corporativo! Um ambiente automatizado, gerido com metodologias ágeis e com investimentos em novos recursos e serviços de inteligência artificial e dados quase sempre em nuvem. 

Habilidades humanas e soft skils são essenciais para se adaptar ao novo modelo. Máquinas reproduzem habilidades técnicas, mas não comportamentais. Portanto, é hora de falar sobre saúde mental! Segundo a OMS – Organização Mundial da Saúde, a depressão atinge mais de 300 milhões de pessoas no mundo.

Numa recente imersão em transformação digital de oito dias, com empresários e executivos, aprendemos que o desafio de conviver com as novas tecnologias vai demandar perspectivas diferentes. Nas aulas técnicas, conceitos e metodologias do digital não pareciam difíceis, mas o espanto e a preocupação estavam presentes. Facilmente vemos esse cenário no mundo corporativo, algo que impacta diretamente a saúde emocional das empresas.

A Era Digital também traz novos conceitos e expectativas de entregas. As metodologias ágeis transformam as equipes, preconizam timelines mais curtas e o “errar rápido para corrigir rápido”. Uma forma nova de organizar o trabalho, ao usar habilidades para tangibilizar entrega diferenciada.

A síndrome de burnout, distúrbio psíquico depressivo, com esgotamento físico e mental, tem sua causa ligada ao trabalho, assim como demais doenças emocionais muitas vezes não  reconhecidas como doença. O melhor a fazer é preparar as empresas para tratá-las como tal:

1)    integrar saúde ocupacional e assistencial;

2)    capacitar a liderança e criar protocolo de cuidado;

3)    promover um assessment de consciência digital; e

4)    criar grupos de trabalho multidisciplinares.

Certamente há outros caminhos e abordagens, mas a promoção da saúde integral e mental tornará as empresas mais resilientes para viver os impactos da transformação digital.

Fonte: O Estado de São Paulo, 26 de Janeiro de 2020.

Depoimentos

“A ABRH-SP atua como uma verdadeira usina geradora de inovações ao promover o compartilhamento de boas práticas de gestão e conceitos de RH entre os associados. Para nós da Sanofi, este trabalho é de enorme valor, pois nos ajuda a posicionar o RH de forma estratégica dentro da companhia.”
Pedro Pittella – Empresa SANOFIHead of Human Resources Sanofi Group Brazil
"Fazer parte da ABRH-SP está sendo muito bom, pois trouxe a oportunidade de acompanhar as novidades e trocar experiências com diversos executivos de RH, isto traz muito valor agregado"
Marcos Sousa - Empresa GOCILDiretor de RH e Jurídico na Gocil Segurança e Serviços
“Somos Associados ABRH-SP há um ano, as palestras que participamos na ABRH-SP tem nos ajudado a melhorar a gestão junto aos nossos colaboradores e entender que os mesmos são o centro para seguirmos em frente com a nossa companhia, temos muito carinho pela ABRH-SP, obrigado por tudo!”
João Paulo Lopes – Empresa MAZAGGerente de Recursos Humanos Agência Mazag

QUER OBTER CONTEÚDO DE QUALIDADE COM INFORMAÇÃO ATUAL?

WhatsApp Precisa de Ajuda? Fale Conosco!