Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

RH de fora para dentro

Nomeado RH do Ano na edição 2017 do prêmio RHs Mais Admirados do Brasil, da revista Gestão RH, Marcelo Nóbrega, diretor de Recursos Humanos da Arcos Dourados Divisão Brasil (operadora do McDonald´s no país), esteve na sede da ABRH-SP, na última quinta, para falar sobre o tema “Business Partner ou Business Player”. Segundo ele, a fase do RH estratégico já ficou para trás. Agora é a hora do RH de fora para dentro, que se volta para o cenário externo – composto pela sociedade, tecnologia, economia, política, meio ambiente e demografia – e se relaciona com os diversos stakeholders da empresa – investidores, clientes, empregados, comunidades, autoridades e fornecedores. Nóbrega se baseou em cases do RH do McDonald´s para abordar como ele enxerga as oportunidades de atuação dos profissionais de Recursos Humanos dentro das empresas. Ele falou do primeiro desafio que teve ao assumir o cargo três anos atrás: diminuir o absenteísmo dos funcionários de atendimento. “Havia uma crença de que a garotada, que tem entre 18 e 25 anos, faltava demais nos finais de semana e que a solução seria o RH criar um bônus de assiduidade para quem não faltasse no sábado e domingo. Eu podia simplesmente ter implantado o bônus, mas resolvi pesquisar melhor e levantar os números. Então, vimos que não era nada disso: eles faltavam igualmente todos os dias da semana no dia anterior ou posterior à folga”, contou Nóbrega, que, com base nos números reais, buscou soluções para o problema. Outro desafio enfrentado foi diminuir o turn over nas posições de atendimento, que chegava a 180% e passou para 80% em três anos. O primeiro passo foi entender os motivos do desligamento falando com os gerentes e os próprios jovens. “Nós viramos a chave do turn over, que deixou de ser um problema para se tornar parte da solução, e passamos a nos preocupar em dar a melhor experiência de primeiro emprego para esse jovem.” Ele ressaltou ainda que a empresa emprega não apenas jovens, mas aposentados, refugiados, ex-presidiários e moradores de rua, estes últimos por meio do Programa Trabalho Novo, da Prefeitura de São Paulo, que conta com o apoio da ABRH-SP.       Fonte: O Estado de São Paulo, 13 de Agosto de 2017.

QUER OBTER CONTEÚDO DE QUALIDADE COM INFORMAÇÃO ATUAL?