Facebook Pageview

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content

Como se tornar um Líder TDG 7.0

O título deste artigo poderia ter 10 linhas só com palavras que o mercado usa para descrever a liderança e como ser um líder, mas vamos aqui fazer um artigo e reflexão raiz, sem estagramear, gourmetizar ou linkedear. Vou dar algumas dicas que, independentemente do nome “Nutella”, funcionam para se tornar um líder de verdade, aquele que é admirado e seguido.

 

Então, fica comigo e acompanhe.

Primeiro, alguns alinhamentos e considerações sobre o tema, já que os livros são infinitos sobre como ser um líder. Você não nasce líder, você se torna um líder! O organograma, o crachá, a descrição de cargo pode no máximo lhe transformar em um gestor ou um “chefe”, mas nunca em um líder.

Como descrito por Max Weber, ter poder não lhe faz um líder, mas, sim, a autoridade, não a autoridade com conotação de nível hierárquico ou patente, mas de ser respeitado pelo que sabe e pratica, sobre quem você é e sobre o que faz.

 

A liderança é uma escolha!

A liderança não é uma competência isolada, é um conjunto de competências, e caráter não se resume a uma única habilidade. Sendo assim, vamos falar sobre algumas dessas habilidades e traços de caráter que farão de você um Líder TDG 7.0.

Tudo começa com o Respeito. O líder é admirado e seguido, pois sabe que o respeito é a base de tudo e nele se constroem a confiança e o engajamento. Respeito não é só ser educado, já seria uma ótima vantagem se muitos tivessem esse traço, mas também é entender as limitações das pessoas, a história delas, respeitar a diversidade e promover a inclusão. Respeito é entender o ser humano, suas qualidades, dificuldades e potencialidades. A primeira lição é: veja as pessoas em sua totalidade e potencial, não como recursos. Faz tempo que essa visão já não serve mais…

 

Ética, parece óbvio não é? Mas não é o que vemos na nossa sociedade e no mundo corporativo em sua maioria. Um líder precisa ser ético, ou seja, fazer o que é certo e não o que é mais fácil ou conveniente. É agir de forma correta mesmo quando ninguém está vendo e respeitar (de novo) os princípios, as regras, valores e culturas universais e atemporais, como honestidade, liberdade, equidade e progresso (das pessoas e organizações).

 

Gostar de pessoas. Muitas vezes na minha carreira profissional, me procuraram desejando se tornar líder (ou gestor…). Muitos não sabem a diferença, principalmente com interesse em subir na carreira, ter melhor salário ou apenas status. Sempre respondia que para ele(a) ser tornar um líder precisava gostar de pessoas, pois como diz o atual guru Simon Sinek, empresas, clientes, fornecedores, acionistas, etc., são feitos por pessoas. Se você não gosta e não entende as pessoas, nunca será um bom líder. Pode até ser um ótimo gestor, que gerencia recursos, mas não toca a mente e a alma das pessoas. Não as faz querer se mover e engajar em um propósito coletivo. O verdadeiro sentido, sucesso e felicidade na vida são impossíveis sem uma conexão com pessoas.

 

Gostar de resolver problemas e desafios. Esta é a segunda condição na minha resposta acima. Se você não se motivar em acordar todos os dias e encontrar problemas e desafios, e entendê-los como oportunidades e tesouros, acredite, sua vida será um inferno. Pois é papel do líder ajudar a resolver os problemas e superar desafios, influenciando e facilitando o caminho para as pessoas, gerando visão e fortalecendo propósitos para que todos conquistem os resultados. É necessário ter uma atitude proativa frente à vida.

 

Precisa entender que agora não é mais pedra, agora é vidraça. Antes atirava reclamações e responsabilidades ao seu líder, mas agora é você quem recebe essas pedras e precisa saber aprender a se divertir e fazer malabarismos com os problemas.

Comunicação é o fator que costura, que dá liga e fluidez na liderança, pois é através da comunicação que transmitimos informações, orientações e metas, motivamos, engajamos, celebramos, interagimos e vivemos! Como diria Peter Druker, mais de 60% dos problemas têm origem na comunicação ineficiente. A forma como o líder se comunica é muito mais poderosa que o conteúdo e o resultado desejado, pois a forma abre os corações e a mente das pessoas para receber o conteúdo e o resultado desejado.

 

Feedback. Não existe um bom líder que não domine a arte do feedback ou do feedforward. Não estou falando de avaliação anual de desempenho, mas, sim, do feedback diário, porém estruturado, justo, honesto e consistente. Um feedback baseado no comportamento a ser mantido ou alterado e não na pessoa. Feedback que avalia o pecado, não o pecador. Aquele feedback apreciado, esperado e que melhora as pessoas, pois é pontual, preciso, honesto, imparcial e tem o único e verdadeiro objetivo de ajudar e desenvolver as pessoas.

 

Acima de tudo, que seja mais focado nos comportamentos “positivos” do que nas fraquezas e falhas. O elogio constrói e o negativo afasta e gera medo. Ah, mas elogie por comparação, sim o comportamento da pessoa e não comparado com outros. O elogio prepara o cérebro para um comportamento e desempenho superiores, quanto mais elogiamos mais sucesso criamos.

Ser o exemplo. Muito “líder” sabe tudo, leu tudo, fez cursos caros e internacionais, mas é incapaz de aplicar, não pratica o famoso Walk the Talk, ou seja, ter congruência entre o discurso e a prática. A atitude grita. Então, aplique o pouco que sabe antes de ser um líder teórico. Todos admiram e seguem aquele que faz o que fala… poderia haver uma ISO para o líder. O que acham?

 

Ser o facilitador. Entenda, o líder existe para servir e não para ser servido! Pensa comigo em um líder que você admira na história ou na sua vida, ele servia ou era servido pelas pessoas? Simples, não é? Nem tanto, pois lutar contra o Ego, a vaidade e o poder é talvez um dos desafios que a liderança mais tem dificuldade. Quando ajudamos uns aos outros a melhorar, podemos aumentar o número de oportunidades disponíveis em vez de ter de competir por elas. Ajude as pessoas a encontrarem a luz delas e as faça brilhar.

Gerar conexões e desenvolvimento. O líder é aquele que cria outros líderes, gera conexões e desenvolvimento das pessoas, times, negócios, organizações e sociedade. Ele tem paixão em desenvolver pessoas, pois elas desenvolvem todo o resto e sua vida fica com mais significado e resultado. Entenda, não somos lembrados pelo que fizemos ou pelos resultados que geramos. Somos lembrados pela FORMA como fizemos e conquistamos, e a forma, como eu disse, toca as pessoas. 

 

É necessário promover o desenvolvimento para que as pessoas cresçam, aprendam, prosperem, tenham flow e significado em suas atividades e vida. Como disse Steve Jobs: “As grandes realizações jamais são resultado do trabalho de uma só pessoa. Elas são sempre concretizadas por uma equipe”. O verdadeiro sentido, sucesso e felicidade na vida são impossíveis sem uma conexão com pessoas.

 

Formar equipes vencedoras. O líder inteligente sabe do poder de se construir uma equipe interdisciplinar, diversa e complementar. Tendo pessoas melhores que ele e que, juntas, se completam e geram sinergia. A diversidade cognitiva e humana gera melhor desempenho e resultados, faz as pessoas saírem de sua zona de conforto e gera novas ideias, soluções e inovação, criando um ecossistema forte e resiliente.

“Sozinho se vai mais rápido, juntos se vai mais longe!” (provérbio africano). O líder deve saber o poder do trabalho em equipe.

Gratidão. O líder precisa entender o poder da gratidão e celebração. Não agradecer na “modinha” que vemos nas redes sociais. Agradecer com sinceridade. Como disse o poeta romano Cícero, “A gratidão não só é a maior das virtudes como é a mãe de todas as outras”. Nada pior que um líder ingrato, que toma para si as vitórias do time ou que não reconhece a contribuição das pessoas. A gratidão é um exemplo de fortaleza mental! E celebre as vitórias com o time. Sem celebração, a vida não é plena.

 

Seja Autorresponsável. Não tem como fugir: um bom líder se envolve com as pessoas, os processos e os resultados. Sabe que tem responsabilidade em tornar a vida das pessoas e os resultados da empresa melhores. Assim, se envolve, se engaja e celebra o processo e as conquistas. Tem ciência de sua influência e a usa para o bem, para o desenvolvimento e progresso de todos.

 

Inteligência Emocional. Por último, mas não menos importante, talvez a mais relevante nos dias atuais e futuros. Desenvolva sua Inteligência Emocional, ou seja, sua capacidade de identificar e controlar suas emoções e conhecer e influenciar as pessoas. Isso tem a ver com resiliência, empatia e quase tudo o que falamos acima.

É lógico que não é só, mas se conseguir fazer isso já será um líder TDG 7.0 (Top das Galáxias). Espero ter ajudado você a ser um líder de sucesso. 

 

Por Cristiano Santos, associado da ABRH-SP, sócio-fundador da People Desenvolvimento Humano e coach de performance e carreira

São Paulo, 14 de Junho de 2021

Depoimentos

“A ABRH-SP atua como uma verdadeira usina geradora de inovações ao promover o compartilhamento de boas práticas de gestão e conceitos de RH entre os associados. Para nós da Sanofi, este trabalho é de enorme valor, pois nos ajuda a posicionar o RH de forma estratégica dentro da companhia.”
Pedro Pittella – Empresa SANOFIHead of Human Resources Sanofi Group Brazil
"Fazer parte da ABRH-SP está sendo muito bom, pois trouxe a oportunidade de acompanhar as novidades e trocar experiências com diversos executivos de RH, isto traz muito valor agregado"
Marcos Sousa - Empresa GOCILDiretor de RH e Jurídico na Gocil Segurança e Serviços

QUER OBTER CONTEÚDO DE QUALIDADE COM INFORMAÇÃO ATUAL?

WhatsApp Precisa de Ajuda? Fale Conosco!