Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

O que significa qualidade de vida no trabalho?

E QUE QUALIDADE DE VIDA NO AMBIENTE DE TRABALHO É ESSA?

 

Você já ouviu falar de espiritualidade corporativa? Não tem nada a ver com religião, mas é exatamente esse jeito de conduzir a empresa que pode colocá-la no ranking das melhores para se trabalhar. E o que você pode fazer para colaborar?

 

O professor Randes apresentou, no último +Café&+Gestão, o resultado de uma pesquisa que aponta o que acontece quando você constrói o ambiente com ações que propiciam o desenvolvimento e a satisfação do funcionário.

 

Primeiro, ele coloca, em destaque, a posição do verdadeiro líder, sem ele nada acontece. Quem é esse “cara” nessa organização? Tem aquele que já ocupa o cargo formalmente, mas nem sempre é seguido. Tem aquele que não tem crachá de chefe ainda, mas é líder por natureza. Para ser líder com qualidade de vida o que ele precisa ter? “Ele precisa ter energização. Espiritualidade é esse sopro que mexe com quem está ao seu redor. Precisa contagiar os que estão à sua volta. Teoria e técnica são importantes, mas a mobilização se dá quando uma alma toca outra alma”, enfatiza o professor. “Tem que gostar de gente. Aliás, esse é um dos pilares da inteligência emocional: lidar com as emoções nos relacionamentos e registrar as situações sociais, com habilidade para negociar e interagir pelo bem da equipe. O que o seu concorrente não vai copiar da sua organização? Gente.”

Com esses líderes à frente, diz ele, vem o desafio da comunicação clara: “cada um sabe para onde o outro está indo, para onde vai e aonde a organização precisa chegar. Já visitei empresas em que o funcionário estava lá há 25 anos, não queria mais saber o que o outro estava fazendo. Era cada um no seu quadrado”.

A empresa espiritualizada enxerga a individualidade das pessoas. Cada um da equipe entende que a pessoa pode estar pensando em outras coisas, outros problemas que não só trabalho, outras necessidades. “Será que estamos tendo tempo para os nossos funcionários? No relacionamento com engajamento, eu curto, compartilho, encontro afinidades e interesses em comum. Ninguém sabe de tudo sempre, acabo dependendo do outro.” Ele relembra que o importante é incentivar o crescimento pessoal e o coletivo, ao mesmo tempo. Receita: bom desempenho com benefícios mútuos.

E o que faz com que eu considere a empresa um excelente lugar para trabalhar?

 Pela pesquisa apresentada, três fatores se destacaram: 19% dizem que é preciso concordar com os objetivos da empresa e ter orgulho de trabalhar nela; 23% dizem que é estar aprendendo cada vez mais e ter oportunidade de crescer. E, finalmente, primeiro critério com 29%: sentir-se satisfeito e motivado. A vantagem competitiva com relação à concorrência está nas pessoas, algo que, lá no começo, ele ressaltou que não há como imitar.

Com essas orientações em mãos, o professor faz um último alerta: quem sacrifica valores prejudica resultados.

 

Fonte: Folha de Alphaville – 14/08/2015

 

Comentários

    Deixe uma Resposta

    QUER OBTER CONTEÚDO DE QUALIDADE COM INFORMAÇÃO ATUAL?