Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Como as Estruturas Libertadoras podem potencializar talentos?

O grupo de estudos: Metodologias ativas para uma aprendizagem significativa da ABRH-SP, debruçou sobre métodos e conceitos aplicáveis na prática para atender as demandas que emergem no universo corporativo. Inicialmente, todos os participantes tiveram a oportunidade de contribuir com suas perspectivas e expectativas para os encontros futuros. A proposta desse artigo é compartilhar como podemos utilizar a linguagem de interação Estrutura Libertadora para potencializar trabalhos em grupo e o desenvolvimento humano, gerando impactos positivos no contexto organizacional.  

Sabe aquelas práticas controladoras e impostas nos antigos processos de aprendizagem? Talvez, no mundo contemporâneo elas estejam com os dias contados. Com regras simples, estruturadas e inclusivas, os autores do livro “O surpreendente poder das Estruturas Libertadoras” apresentam trinta e três microestruturas para realizar o trabalho e desencadear a cultura da inovação. Alguns dos princípios que norteiam essas estruturas é nunca começar sem um propósito claro, engajar em uma curiosidade seriamente divertida e aprender errando. Os estudos e experiências dos disseminadores das EL, validam a importância de aprender com os erros e mudar nossa mentalidade acerca de padrões estabelecidos como a cultura do medo e a máxima de quem manda, obedece quem tem juízo. Essas crenças e visão distorcida, apenas inibem as pessoas e impedem que elas possam experienciar aprendizados significativos para atingir os resultados organizacionais.  

A liberdade de expressar sua autenticidade e a valorização da pluralidade, são essenciais para que as pessoas desenvolvam autonomia e lapidem suas potencialidades. Ao longo dos encontros, testamos as estruturas e percebemos a importância do acolhimento e espaços para diálogos que, muitas vezes são excludentes no ambiente corporativo.  

Líder, como tem sido sua atuação no que tange o processo de aprendizagem das equipes e como você contribui para que esses talentos se desenvolvam? A velocidade, complexidade e as incertezas em que tudo acontece, requer uma postura inclinada para o ativo mais importante da organização, o ser humano. Para que os objetivos estratégicos sejam alcançados, precisamos promover a inclusão e expandir os ângulos através de lentes diferentes para esculpir talentos.  

Abrace novos métodos para aprender, conheça mais profundamente as EL e liberte-se para explorar o máximo das suas capacidades! 

Artigo escrito por Giovane Prestes, participante do grupo de estudos "Metodologias Ativas" da ABRH-SP

São Paulo, 09 de Janeiro de 2022

Leia Mais

Prepare-se para o CHRO FORUM, primeiro grande evento do ano da ABRH-SP

O grupo de estudos: Metodologias ativas para uma aprendizagem significativa da ABRH-SP, debruçou sobre métodos e conceitos aplicáveis na prática para atender as demandas que emergem no universo corporativo. Inicialmente, todos os participantes tiveram a oportunidade de contribuir com suas perspectivas e expectativas para os encontros futuros. A proposta desse artigo é compartilhar como podemos utilizar a linguagem de interação Estrutura Libertadora para potencializar trabalhos em grupo e o desenvolvimento humano, gerando impactos positivos no contexto organizacional.  

Sabe aquelas práticas controladoras e impostas nos antigos processos de aprendizagem? Talvez, no mundo contemporâneo elas estejam com os dias contados. Com regras simples, estruturadas e inclusivas, os autores do livro “O surpreendente poder das Estruturas Libertadoras” apresentam trinta e três microestruturas para realizar o trabalho e desencadear a cultura da inovação. Alguns dos princípios que norteiam essas estruturas é nunca começar sem um propósito claro, engajar em uma curiosidade seriamente divertida e aprender errando. Os estudos e experiências dos disseminadores das EL, validam a importância de aprender com os erros e mudar nossa mentalidade acerca de padrões estabelecidos como a cultura do medo e a máxima de quem manda, obedece quem tem juízo. Essas crenças e visão distorcida, apenas inibem as pessoas e impedem que elas possam experienciar aprendizados significativos para atingir os resultados organizacionais.  

A liberdade de expressar sua autenticidade e a valorização da pluralidade, são essenciais para que as pessoas desenvolvam autonomia e lapidem suas potencialidades. Ao longo dos encontros, testamos as estruturas e percebemos a importância do acolhimento e espaços para diálogos que, muitas vezes são excludentes no ambiente corporativo.  

Líder, como tem sido sua atuação no que tange o processo de aprendizagem das equipes e como você contribui para que esses talentos se desenvolvam? A velocidade, complexidade e as incertezas em que tudo acontece, requer uma postura inclinada para o ativo mais importante da organização, o ser humano. Para que os objetivos estratégicos sejam alcançados, precisamos promover a inclusão e expandir os ângulos através de lentes diferentes para esculpir talentos.  

Abrace novos métodos para aprender, conheça mais profundamente as EL e liberte-se para explorar o máximo das suas capacidades! 

Artigo escrito por Giovane Prestes, participante do grupo de estudos "Metodologias Ativas" da ABRH-SP

São Paulo, 09 de Janeiro de 2022

Leia Mais

Comunicação Consciente e DE&I – Um sistema operacional que viabiliza a inclusão

O grupo de estudos: Metodologias ativas para uma aprendizagem significativa da ABRH-SP, debruçou sobre métodos e conceitos aplicáveis na prática para atender as demandas que emergem no universo corporativo. Inicialmente, todos os participantes tiveram a oportunidade de contribuir com suas perspectivas e expectativas para os encontros futuros. A proposta desse artigo é compartilhar como podemos utilizar a linguagem de interação Estrutura Libertadora para potencializar trabalhos em grupo e o desenvolvimento humano, gerando impactos positivos no contexto organizacional.  

Sabe aquelas práticas controladoras e impostas nos antigos processos de aprendizagem? Talvez, no mundo contemporâneo elas estejam com os dias contados. Com regras simples, estruturadas e inclusivas, os autores do livro “O surpreendente poder das Estruturas Libertadoras” apresentam trinta e três microestruturas para realizar o trabalho e desencadear a cultura da inovação. Alguns dos princípios que norteiam essas estruturas é nunca começar sem um propósito claro, engajar em uma curiosidade seriamente divertida e aprender errando. Os estudos e experiências dos disseminadores das EL, validam a importância de aprender com os erros e mudar nossa mentalidade acerca de padrões estabelecidos como a cultura do medo e a máxima de quem manda, obedece quem tem juízo. Essas crenças e visão distorcida, apenas inibem as pessoas e impedem que elas possam experienciar aprendizados significativos para atingir os resultados organizacionais.  

A liberdade de expressar sua autenticidade e a valorização da pluralidade, são essenciais para que as pessoas desenvolvam autonomia e lapidem suas potencialidades. Ao longo dos encontros, testamos as estruturas e percebemos a importância do acolhimento e espaços para diálogos que, muitas vezes são excludentes no ambiente corporativo.  

Líder, como tem sido sua atuação no que tange o processo de aprendizagem das equipes e como você contribui para que esses talentos se desenvolvam? A velocidade, complexidade e as incertezas em que tudo acontece, requer uma postura inclinada para o ativo mais importante da organização, o ser humano. Para que os objetivos estratégicos sejam alcançados, precisamos promover a inclusão e expandir os ângulos através de lentes diferentes para esculpir talentos.  

Abrace novos métodos para aprender, conheça mais profundamente as EL e liberte-se para explorar o máximo das suas capacidades! 

Artigo escrito por Giovane Prestes, participante do grupo de estudos "Metodologias Ativas" da ABRH-SP

São Paulo, 09 de Janeiro de 2022

Leia Mais

Administração das escalas de plantão de fim de ano depende de regras claras e coesas da organização

O grupo de estudos: Metodologias ativas para uma aprendizagem significativa da ABRH-SP, debruçou sobre métodos e conceitos aplicáveis na prática para atender as demandas que emergem no universo corporativo. Inicialmente, todos os participantes tiveram a oportunidade de contribuir com suas perspectivas e expectativas para os encontros futuros. A proposta desse artigo é compartilhar como podemos utilizar a linguagem de interação Estrutura Libertadora para potencializar trabalhos em grupo e o desenvolvimento humano, gerando impactos positivos no contexto organizacional.  

Sabe aquelas práticas controladoras e impostas nos antigos processos de aprendizagem? Talvez, no mundo contemporâneo elas estejam com os dias contados. Com regras simples, estruturadas e inclusivas, os autores do livro “O surpreendente poder das Estruturas Libertadoras” apresentam trinta e três microestruturas para realizar o trabalho e desencadear a cultura da inovação. Alguns dos princípios que norteiam essas estruturas é nunca começar sem um propósito claro, engajar em uma curiosidade seriamente divertida e aprender errando. Os estudos e experiências dos disseminadores das EL, validam a importância de aprender com os erros e mudar nossa mentalidade acerca de padrões estabelecidos como a cultura do medo e a máxima de quem manda, obedece quem tem juízo. Essas crenças e visão distorcida, apenas inibem as pessoas e impedem que elas possam experienciar aprendizados significativos para atingir os resultados organizacionais.  

A liberdade de expressar sua autenticidade e a valorização da pluralidade, são essenciais para que as pessoas desenvolvam autonomia e lapidem suas potencialidades. Ao longo dos encontros, testamos as estruturas e percebemos a importância do acolhimento e espaços para diálogos que, muitas vezes são excludentes no ambiente corporativo.  

Líder, como tem sido sua atuação no que tange o processo de aprendizagem das equipes e como você contribui para que esses talentos se desenvolvam? A velocidade, complexidade e as incertezas em que tudo acontece, requer uma postura inclinada para o ativo mais importante da organização, o ser humano. Para que os objetivos estratégicos sejam alcançados, precisamos promover a inclusão e expandir os ângulos através de lentes diferentes para esculpir talentos.  

Abrace novos métodos para aprender, conheça mais profundamente as EL e liberte-se para explorar o máximo das suas capacidades! 

Artigo escrito por Giovane Prestes, participante do grupo de estudos "Metodologias Ativas" da ABRH-SP

São Paulo, 09 de Janeiro de 2022

Leia Mais

Recrutamento e Seleção: Um Novo Olhar

O grupo de estudos: Metodologias ativas para uma aprendizagem significativa da ABRH-SP, debruçou sobre métodos e conceitos aplicáveis na prática para atender as demandas que emergem no universo corporativo. Inicialmente, todos os participantes tiveram a oportunidade de contribuir com suas perspectivas e expectativas para os encontros futuros. A proposta desse artigo é compartilhar como podemos utilizar a linguagem de interação Estrutura Libertadora para potencializar trabalhos em grupo e o desenvolvimento humano, gerando impactos positivos no contexto organizacional.  

Sabe aquelas práticas controladoras e impostas nos antigos processos de aprendizagem? Talvez, no mundo contemporâneo elas estejam com os dias contados. Com regras simples, estruturadas e inclusivas, os autores do livro “O surpreendente poder das Estruturas Libertadoras” apresentam trinta e três microestruturas para realizar o trabalho e desencadear a cultura da inovação. Alguns dos princípios que norteiam essas estruturas é nunca começar sem um propósito claro, engajar em uma curiosidade seriamente divertida e aprender errando. Os estudos e experiências dos disseminadores das EL, validam a importância de aprender com os erros e mudar nossa mentalidade acerca de padrões estabelecidos como a cultura do medo e a máxima de quem manda, obedece quem tem juízo. Essas crenças e visão distorcida, apenas inibem as pessoas e impedem que elas possam experienciar aprendizados significativos para atingir os resultados organizacionais.  

A liberdade de expressar sua autenticidade e a valorização da pluralidade, são essenciais para que as pessoas desenvolvam autonomia e lapidem suas potencialidades. Ao longo dos encontros, testamos as estruturas e percebemos a importância do acolhimento e espaços para diálogos que, muitas vezes são excludentes no ambiente corporativo.  

Líder, como tem sido sua atuação no que tange o processo de aprendizagem das equipes e como você contribui para que esses talentos se desenvolvam? A velocidade, complexidade e as incertezas em que tudo acontece, requer uma postura inclinada para o ativo mais importante da organização, o ser humano. Para que os objetivos estratégicos sejam alcançados, precisamos promover a inclusão e expandir os ângulos através de lentes diferentes para esculpir talentos.  

Abrace novos métodos para aprender, conheça mais profundamente as EL e liberte-se para explorar o máximo das suas capacidades! 

Artigo escrito por Giovane Prestes, participante do grupo de estudos "Metodologias Ativas" da ABRH-SP

São Paulo, 09 de Janeiro de 2022

Leia Mais

ABRH-SP recebe 20 notebooks doados pela Indeed

O grupo de estudos: Metodologias ativas para uma aprendizagem significativa da ABRH-SP, debruçou sobre métodos e conceitos aplicáveis na prática para atender as demandas que emergem no universo corporativo. Inicialmente, todos os participantes tiveram a oportunidade de contribuir com suas perspectivas e expectativas para os encontros futuros. A proposta desse artigo é compartilhar como podemos utilizar a linguagem de interação Estrutura Libertadora para potencializar trabalhos em grupo e o desenvolvimento humano, gerando impactos positivos no contexto organizacional.  

Sabe aquelas práticas controladoras e impostas nos antigos processos de aprendizagem? Talvez, no mundo contemporâneo elas estejam com os dias contados. Com regras simples, estruturadas e inclusivas, os autores do livro “O surpreendente poder das Estruturas Libertadoras” apresentam trinta e três microestruturas para realizar o trabalho e desencadear a cultura da inovação. Alguns dos princípios que norteiam essas estruturas é nunca começar sem um propósito claro, engajar em uma curiosidade seriamente divertida e aprender errando. Os estudos e experiências dos disseminadores das EL, validam a importância de aprender com os erros e mudar nossa mentalidade acerca de padrões estabelecidos como a cultura do medo e a máxima de quem manda, obedece quem tem juízo. Essas crenças e visão distorcida, apenas inibem as pessoas e impedem que elas possam experienciar aprendizados significativos para atingir os resultados organizacionais.  

A liberdade de expressar sua autenticidade e a valorização da pluralidade, são essenciais para que as pessoas desenvolvam autonomia e lapidem suas potencialidades. Ao longo dos encontros, testamos as estruturas e percebemos a importância do acolhimento e espaços para diálogos que, muitas vezes são excludentes no ambiente corporativo.  

Líder, como tem sido sua atuação no que tange o processo de aprendizagem das equipes e como você contribui para que esses talentos se desenvolvam? A velocidade, complexidade e as incertezas em que tudo acontece, requer uma postura inclinada para o ativo mais importante da organização, o ser humano. Para que os objetivos estratégicos sejam alcançados, precisamos promover a inclusão e expandir os ângulos através de lentes diferentes para esculpir talentos.  

Abrace novos métodos para aprender, conheça mais profundamente as EL e liberte-se para explorar o máximo das suas capacidades! 

Artigo escrito por Giovane Prestes, participante do grupo de estudos "Metodologias Ativas" da ABRH-SP

São Paulo, 09 de Janeiro de 2022

Leia Mais

Desafios da Transformação Digital

O grupo de estudos: Metodologias ativas para uma aprendizagem significativa da ABRH-SP, debruçou sobre métodos e conceitos aplicáveis na prática para atender as demandas que emergem no universo corporativo. Inicialmente, todos os participantes tiveram a oportunidade de contribuir com suas perspectivas e expectativas para os encontros futuros. A proposta desse artigo é compartilhar como podemos utilizar a linguagem de interação Estrutura Libertadora para potencializar trabalhos em grupo e o desenvolvimento humano, gerando impactos positivos no contexto organizacional.  

Sabe aquelas práticas controladoras e impostas nos antigos processos de aprendizagem? Talvez, no mundo contemporâneo elas estejam com os dias contados. Com regras simples, estruturadas e inclusivas, os autores do livro “O surpreendente poder das Estruturas Libertadoras” apresentam trinta e três microestruturas para realizar o trabalho e desencadear a cultura da inovação. Alguns dos princípios que norteiam essas estruturas é nunca começar sem um propósito claro, engajar em uma curiosidade seriamente divertida e aprender errando. Os estudos e experiências dos disseminadores das EL, validam a importância de aprender com os erros e mudar nossa mentalidade acerca de padrões estabelecidos como a cultura do medo e a máxima de quem manda, obedece quem tem juízo. Essas crenças e visão distorcida, apenas inibem as pessoas e impedem que elas possam experienciar aprendizados significativos para atingir os resultados organizacionais.  

A liberdade de expressar sua autenticidade e a valorização da pluralidade, são essenciais para que as pessoas desenvolvam autonomia e lapidem suas potencialidades. Ao longo dos encontros, testamos as estruturas e percebemos a importância do acolhimento e espaços para diálogos que, muitas vezes são excludentes no ambiente corporativo.  

Líder, como tem sido sua atuação no que tange o processo de aprendizagem das equipes e como você contribui para que esses talentos se desenvolvam? A velocidade, complexidade e as incertezas em que tudo acontece, requer uma postura inclinada para o ativo mais importante da organização, o ser humano. Para que os objetivos estratégicos sejam alcançados, precisamos promover a inclusão e expandir os ângulos através de lentes diferentes para esculpir talentos.  

Abrace novos métodos para aprender, conheça mais profundamente as EL e liberte-se para explorar o máximo das suas capacidades! 

Artigo escrito por Giovane Prestes, participante do grupo de estudos "Metodologias Ativas" da ABRH-SP

São Paulo, 09 de Janeiro de 2022

Leia Mais

Pré CHRO Forum antecipa em webinar as propostas do evento da ABRH-SP que será realizado em 2023

O grupo de estudos: Metodologias ativas para uma aprendizagem significativa da ABRH-SP, debruçou sobre métodos e conceitos aplicáveis na prática para atender as demandas que emergem no universo corporativo. Inicialmente, todos os participantes tiveram a oportunidade de contribuir com suas perspectivas e expectativas para os encontros futuros. A proposta desse artigo é compartilhar como podemos utilizar a linguagem de interação Estrutura Libertadora para potencializar trabalhos em grupo e o desenvolvimento humano, gerando impactos positivos no contexto organizacional.  

Sabe aquelas práticas controladoras e impostas nos antigos processos de aprendizagem? Talvez, no mundo contemporâneo elas estejam com os dias contados. Com regras simples, estruturadas e inclusivas, os autores do livro “O surpreendente poder das Estruturas Libertadoras” apresentam trinta e três microestruturas para realizar o trabalho e desencadear a cultura da inovação. Alguns dos princípios que norteiam essas estruturas é nunca começar sem um propósito claro, engajar em uma curiosidade seriamente divertida e aprender errando. Os estudos e experiências dos disseminadores das EL, validam a importância de aprender com os erros e mudar nossa mentalidade acerca de padrões estabelecidos como a cultura do medo e a máxima de quem manda, obedece quem tem juízo. Essas crenças e visão distorcida, apenas inibem as pessoas e impedem que elas possam experienciar aprendizados significativos para atingir os resultados organizacionais.  

A liberdade de expressar sua autenticidade e a valorização da pluralidade, são essenciais para que as pessoas desenvolvam autonomia e lapidem suas potencialidades. Ao longo dos encontros, testamos as estruturas e percebemos a importância do acolhimento e espaços para diálogos que, muitas vezes são excludentes no ambiente corporativo.  

Líder, como tem sido sua atuação no que tange o processo de aprendizagem das equipes e como você contribui para que esses talentos se desenvolvam? A velocidade, complexidade e as incertezas em que tudo acontece, requer uma postura inclinada para o ativo mais importante da organização, o ser humano. Para que os objetivos estratégicos sejam alcançados, precisamos promover a inclusão e expandir os ângulos através de lentes diferentes para esculpir talentos.  

Abrace novos métodos para aprender, conheça mais profundamente as EL e liberte-se para explorar o máximo das suas capacidades! 

Artigo escrito por Giovane Prestes, participante do grupo de estudos "Metodologias Ativas" da ABRH-SP

São Paulo, 09 de Janeiro de 2022

Leia Mais

Pesquisa da ABRH-SP quer revelar de que forma as organizações lidam com os conflitos internos

O grupo de estudos: Metodologias ativas para uma aprendizagem significativa da ABRH-SP, debruçou sobre métodos e conceitos aplicáveis na prática para atender as demandas que emergem no universo corporativo. Inicialmente, todos os participantes tiveram a oportunidade de contribuir com suas perspectivas e expectativas para os encontros futuros. A proposta desse artigo é compartilhar como podemos utilizar a linguagem de interação Estrutura Libertadora para potencializar trabalhos em grupo e o desenvolvimento humano, gerando impactos positivos no contexto organizacional.  

Sabe aquelas práticas controladoras e impostas nos antigos processos de aprendizagem? Talvez, no mundo contemporâneo elas estejam com os dias contados. Com regras simples, estruturadas e inclusivas, os autores do livro “O surpreendente poder das Estruturas Libertadoras” apresentam trinta e três microestruturas para realizar o trabalho e desencadear a cultura da inovação. Alguns dos princípios que norteiam essas estruturas é nunca começar sem um propósito claro, engajar em uma curiosidade seriamente divertida e aprender errando. Os estudos e experiências dos disseminadores das EL, validam a importância de aprender com os erros e mudar nossa mentalidade acerca de padrões estabelecidos como a cultura do medo e a máxima de quem manda, obedece quem tem juízo. Essas crenças e visão distorcida, apenas inibem as pessoas e impedem que elas possam experienciar aprendizados significativos para atingir os resultados organizacionais.  

A liberdade de expressar sua autenticidade e a valorização da pluralidade, são essenciais para que as pessoas desenvolvam autonomia e lapidem suas potencialidades. Ao longo dos encontros, testamos as estruturas e percebemos a importância do acolhimento e espaços para diálogos que, muitas vezes são excludentes no ambiente corporativo.  

Líder, como tem sido sua atuação no que tange o processo de aprendizagem das equipes e como você contribui para que esses talentos se desenvolvam? A velocidade, complexidade e as incertezas em que tudo acontece, requer uma postura inclinada para o ativo mais importante da organização, o ser humano. Para que os objetivos estratégicos sejam alcançados, precisamos promover a inclusão e expandir os ângulos através de lentes diferentes para esculpir talentos.  

Abrace novos métodos para aprender, conheça mais profundamente as EL e liberte-se para explorar o máximo das suas capacidades! 

Artigo escrito por Giovane Prestes, participante do grupo de estudos "Metodologias Ativas" da ABRH-SP

São Paulo, 09 de Janeiro de 2022

Leia Mais

ABRH-SP e ICF Brasil – Acordo de cooperação ICF oferece significativo desconto para nossos associados

O grupo de estudos: Metodologias ativas para uma aprendizagem significativa da ABRH-SP, debruçou sobre métodos e conceitos aplicáveis na prática para atender as demandas que emergem no universo corporativo. Inicialmente, todos os participantes tiveram a oportunidade de contribuir com suas perspectivas e expectativas para os encontros futuros. A proposta desse artigo é compartilhar como podemos utilizar a linguagem de interação Estrutura Libertadora para potencializar trabalhos em grupo e o desenvolvimento humano, gerando impactos positivos no contexto organizacional.  

Sabe aquelas práticas controladoras e impostas nos antigos processos de aprendizagem? Talvez, no mundo contemporâneo elas estejam com os dias contados. Com regras simples, estruturadas e inclusivas, os autores do livro “O surpreendente poder das Estruturas Libertadoras” apresentam trinta e três microestruturas para realizar o trabalho e desencadear a cultura da inovação. Alguns dos princípios que norteiam essas estruturas é nunca começar sem um propósito claro, engajar em uma curiosidade seriamente divertida e aprender errando. Os estudos e experiências dos disseminadores das EL, validam a importância de aprender com os erros e mudar nossa mentalidade acerca de padrões estabelecidos como a cultura do medo e a máxima de quem manda, obedece quem tem juízo. Essas crenças e visão distorcida, apenas inibem as pessoas e impedem que elas possam experienciar aprendizados significativos para atingir os resultados organizacionais.  

A liberdade de expressar sua autenticidade e a valorização da pluralidade, são essenciais para que as pessoas desenvolvam autonomia e lapidem suas potencialidades. Ao longo dos encontros, testamos as estruturas e percebemos a importância do acolhimento e espaços para diálogos que, muitas vezes são excludentes no ambiente corporativo.  

Líder, como tem sido sua atuação no que tange o processo de aprendizagem das equipes e como você contribui para que esses talentos se desenvolvam? A velocidade, complexidade e as incertezas em que tudo acontece, requer uma postura inclinada para o ativo mais importante da organização, o ser humano. Para que os objetivos estratégicos sejam alcançados, precisamos promover a inclusão e expandir os ângulos através de lentes diferentes para esculpir talentos.  

Abrace novos métodos para aprender, conheça mais profundamente as EL e liberte-se para explorar o máximo das suas capacidades! 

Artigo escrito por Giovane Prestes, participante do grupo de estudos "Metodologias Ativas" da ABRH-SP

São Paulo, 09 de Janeiro de 2022

Leia Mais

ABRH-SP tem inscrições gratuitas para o Pré CHRO Forum

O grupo de estudos: Metodologias ativas para uma aprendizagem significativa da ABRH-SP, debruçou sobre métodos e conceitos aplicáveis na prática para atender as demandas que emergem no universo corporativo. Inicialmente, todos os participantes tiveram a oportunidade de contribuir com suas perspectivas e expectativas para os encontros futuros. A proposta desse artigo é compartilhar como podemos utilizar a linguagem de interação Estrutura Libertadora para potencializar trabalhos em grupo e o desenvolvimento humano, gerando impactos positivos no contexto organizacional.  

Sabe aquelas práticas controladoras e impostas nos antigos processos de aprendizagem? Talvez, no mundo contemporâneo elas estejam com os dias contados. Com regras simples, estruturadas e inclusivas, os autores do livro “O surpreendente poder das Estruturas Libertadoras” apresentam trinta e três microestruturas para realizar o trabalho e desencadear a cultura da inovação. Alguns dos princípios que norteiam essas estruturas é nunca começar sem um propósito claro, engajar em uma curiosidade seriamente divertida e aprender errando. Os estudos e experiências dos disseminadores das EL, validam a importância de aprender com os erros e mudar nossa mentalidade acerca de padrões estabelecidos como a cultura do medo e a máxima de quem manda, obedece quem tem juízo. Essas crenças e visão distorcida, apenas inibem as pessoas e impedem que elas possam experienciar aprendizados significativos para atingir os resultados organizacionais.  

A liberdade de expressar sua autenticidade e a valorização da pluralidade, são essenciais para que as pessoas desenvolvam autonomia e lapidem suas potencialidades. Ao longo dos encontros, testamos as estruturas e percebemos a importância do acolhimento e espaços para diálogos que, muitas vezes são excludentes no ambiente corporativo.  

Líder, como tem sido sua atuação no que tange o processo de aprendizagem das equipes e como você contribui para que esses talentos se desenvolvam? A velocidade, complexidade e as incertezas em que tudo acontece, requer uma postura inclinada para o ativo mais importante da organização, o ser humano. Para que os objetivos estratégicos sejam alcançados, precisamos promover a inclusão e expandir os ângulos através de lentes diferentes para esculpir talentos.  

Abrace novos métodos para aprender, conheça mais profundamente as EL e liberte-se para explorar o máximo das suas capacidades! 

Artigo escrito por Giovane Prestes, participante do grupo de estudos "Metodologias Ativas" da ABRH-SP

São Paulo, 09 de Janeiro de 2022

Leia Mais

PcD no mercado de trabalho: pautas prioritárias nas ações da ABRH-SP e do CORHALE

O grupo de estudos: Metodologias ativas para uma aprendizagem significativa da ABRH-SP, debruçou sobre métodos e conceitos aplicáveis na prática para atender as demandas que emergem no universo corporativo. Inicialmente, todos os participantes tiveram a oportunidade de contribuir com suas perspectivas e expectativas para os encontros futuros. A proposta desse artigo é compartilhar como podemos utilizar a linguagem de interação Estrutura Libertadora para potencializar trabalhos em grupo e o desenvolvimento humano, gerando impactos positivos no contexto organizacional.  

Sabe aquelas práticas controladoras e impostas nos antigos processos de aprendizagem? Talvez, no mundo contemporâneo elas estejam com os dias contados. Com regras simples, estruturadas e inclusivas, os autores do livro “O surpreendente poder das Estruturas Libertadoras” apresentam trinta e três microestruturas para realizar o trabalho e desencadear a cultura da inovação. Alguns dos princípios que norteiam essas estruturas é nunca começar sem um propósito claro, engajar em uma curiosidade seriamente divertida e aprender errando. Os estudos e experiências dos disseminadores das EL, validam a importância de aprender com os erros e mudar nossa mentalidade acerca de padrões estabelecidos como a cultura do medo e a máxima de quem manda, obedece quem tem juízo. Essas crenças e visão distorcida, apenas inibem as pessoas e impedem que elas possam experienciar aprendizados significativos para atingir os resultados organizacionais.  

A liberdade de expressar sua autenticidade e a valorização da pluralidade, são essenciais para que as pessoas desenvolvam autonomia e lapidem suas potencialidades. Ao longo dos encontros, testamos as estruturas e percebemos a importância do acolhimento e espaços para diálogos que, muitas vezes são excludentes no ambiente corporativo.  

Líder, como tem sido sua atuação no que tange o processo de aprendizagem das equipes e como você contribui para que esses talentos se desenvolvam? A velocidade, complexidade e as incertezas em que tudo acontece, requer uma postura inclinada para o ativo mais importante da organização, o ser humano. Para que os objetivos estratégicos sejam alcançados, precisamos promover a inclusão e expandir os ângulos através de lentes diferentes para esculpir talentos.  

Abrace novos métodos para aprender, conheça mais profundamente as EL e liberte-se para explorar o máximo das suas capacidades! 

Artigo escrito por Giovane Prestes, participante do grupo de estudos "Metodologias Ativas" da ABRH-SP

São Paulo, 09 de Janeiro de 2022

Leia Mais

QUER OBTER CONTEÚDO DE QUALIDADE COM INFORMAÇÃO ATUAL?

WhatsApp Precisa de Ajuda? Fale Conosco!